Terça-Feira 09/08/2022 16:23

Asfalto da MS-450 avança entre morros e potencializa o turismo na Estrada Ecológica

Investimento - Gestão Pública/ Infraestrutura

Asfalto chegou ao trecho sinuoso que cruza a morraria, margeando o Rio Aquidauana.

Foto: Edemir Rodrigues

Da varanda de sua casa, dona Sebastiana Almeida, 69 anos, observa atentamente a movimentação de máquinas e operário preparando o solo da Estrada Ecológica (MS-450) para implantação do asfalto, um sonho de 30 anos dos moradores da região.

Ela mora com a família no local desde os anos de 1960, vivenciou momento de apogeu com seu comércio, na época do Trem do Pantanal, e agora projeta uma vida melhor para todos.

“Criamos os filhos com o movimento do trem, depois parou tudo, ficamos isolados aqui, sem ter para quem vender”, diz a comerciante, que mantém uma venda e aluga quartos para os turistas que chegam para pescar no rio Aquidauana.

Sua propriedade está localizada entre a estrada e o rio, ao lado dos paredões da morraria da Serra de Maracaju. “A gente andava desanimado, até com vontade de vender tudo, mas o asfalto pode ser bom, trazer de novo o progresso”, também comenta.

Antiga moradora, Sebastiana Almeida estava desacreditada com o lugar. Foto: Chico Ribeiro

O investimento do Governo do Estado na pavimentação de 18,5 Km da MS-450, entre os distritos de Palmeiras (Dois Irmãos do Buriti) e Piraputanga (Aquidauana), não trouxe felicidade apenas para a antiga moradora.

A chegada da infraestrutura em uma região de forte potencial turístico é sinônimo de desenvolvimento, além de facilitar o acesso. Novos empreendimentos de hotelaria estão sendo aguardados, anuncia a prefeitura de Aquidauana.

Obra avança na morraria

Com 55 Km de extensão, do trevo com a BR-262 a Aquidauana, a MS-450 é o principal acesso aos distritos, privilegiados pelos recursos naturais situados no entorno dos paredões de arenito da Serra de Maracaju, entrecortados pelo rio de mesmo nome do município.

O local é muito visitado por pescadores e amantes de esportes de aventura, como trilhas, ciclismo e escaladas, e conta com estrutura de hotéis, pousadas e pesqueiros ao longo do rio, que divide planalto e planície.

Obra no entorno da morraria exigiu tratamento diferenciado para reduzir impactos. Foto: Edemir Rodrigues

O trade turístico, o comércio e os produtores rurais da região comemoram a chegada da infraestrutura viária. Para o dono do restaurante Pita, de Piraputanga, Ademar Cassaro, 49 anos, o asfalto “é uma grande conquista” e impulsionará a economia, principalmente o ecoturismo.

“Estou aqui há 15 anos e nosso sofrimento sempre foi a dificuldade de acesso. Quando não é a poeira e os buracos, o atoleiro quando chove”, afirma o comerciante. “A gente agradece muito ao governador.”, conclui.

A obra contemplando o último trecho primário da estrada foi autorizada em agosto de 2017 pelo governador Reinaldo Azambuja, ao custo de R$ 17,6 milhões. Apesar das chuvas e das dificuldades naturais, como o solo rochoso e implantação de redes coletoras de águas pluviais, o serviço segue dentro do cronograma, com mais de 70% concluído.

A ponte de concreto sobre o córrego das Antas foi licitada, ao custo de R$ 1,7 milhão, e as estruturas pré-montadas já estão no local.

Técnicos da Agesul vistoriaram a obra esta semana: Cronograma sendo cumprido, apesar da chuva. Foto: Edemir Rodrigues

Arqueologia preservada

A MS-450 é classificada como Estrada Ecológica e integra a Área de Proteção Ambiental (APA) de 10 mil hectares, criada em 2000. O complexo é um diversificado ambiente que exigiu uma intervenção monitorada pela Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul).

A Agência contratou um arqueólogo para realizar estudos das áreas com incidência de sítios arqueológicos. Vários fragmentos do período pré-indígena, com milhares de anos, foram encontrados no trecho.

Trecho onde foram encontrados vestígios arqueológicos não será asfaltado. Foto: Edemir Rodrigues

“É uma obra difícil, não apenas pelas características da região, que exige cuidado ambiental por ser um ecossistema muito complexo”, explica o engenheiro Ricardo Ximenez, gerente de obras da Agesul. “Usamos o mínimo de explosões para retirada de pedras, árvores nobres foram preservadas, bem como uma área definida como sítio arqueológico, onde o Governo decidiu não pavimentar”, acrescenta.

Uma faixa de 750 metros da estrada, já em Piraputanga, receberá uma base primária para preservar o sítio arqueológico descoberto ao pé da morraria, cujo contorno já está pavimentado com alargamento da pista.

Na atual fase da obra, a empreiteira executa implantação de estruturas de drenagem e nivelamento da via, enquanto aguarda autorização para pavimentar os trechos sob investigação arqueológica e próximos ao córrego das Antas.

Portal do MS/PH

Dois Irmãos do Buriti/MS, Investimento, Gestão Pública, Infraestrutura

Compartilhar faz bem!

Eventos

  • 1º Encontro dos Amigos da Empaer

    1º Encontro dos Amigos da Empaer

    Cidade:Dourados
    Data:29/07/2017
    Local:Restaurante / Espaço Guarujá

  • Caravana da Saúde em Dourados II

    Caravana da Saúde em Dourados II

    Cidade:Dourados
    Data:16/04/2016
    Local:Complexo Esportivo Jorge Antonio Salomão

Veja Mais Eventos

Balcão de Oportunidades / Empregos(Utilidade Pública)

Não é cadastrado ainda? Clique aqui

Veja todas as ofertas de vagas

Cotações

Moeda Taxa R$
Dólar 5,127
Euro 5,235
Franco suíço 5,376
Yuan 0,759
Iene 0,038
Peso arg. 0,038

Atualizado

Universitários

Serviço Gratuito Classificados - Anúnicios para Universitários
Newsletter
Receba nossa Newsletter

Classificados

Gostaria de anunciar conosco? Clique aqui e cadastre-se gratuitamente.

  • Anúncios

Direitos do Cidadão

Escritório Baraúna-Mangeon Faça sua pergunta
  • Tem uma senhora dai de Campo Grande que é uma estelionatá...Tem uma senhora dai de Campo Grande que é uma estelionatária aqui em Cuiabá, levou muita grana nossa, e uma eco esporte. Ela se chama LEUNIR..., como faço pra denunciar ela aí nos jornais?Resp.
  • Boa tarde, minha sogra teve cancer nos seios e retirou um...Boa tarde, minha sogra teve cancer nos seios e retirou um eo outro parcial ja faz um bom tempo que nao trabalha e estava recebendo auxilio doença mas foi cancelada e ja passou por duas pericias e nao consegui mais , sera que tem como ela aposentar?Resp.
  • quanto porcento e o desconto para produtor rural hoje out...quanto porcento e o desconto para produtor rural hoje outbro de 2013Resp.
  • meu irmao cumpriu dois ano e meio de pena foi asolvido 7 ...meu irmao cumpriu dois ano e meio de pena foi asolvido 7 a zero caso ele tenha alguma condenacao esse 2 anos e meio pode ser descontadoResp.
  • gostaria de saber se ae em muno novo vai ter curso pilota...gostaria de saber se ae em muno novo vai ter curso pilotar maqunas agricolas?? se tiver como fasso pra me escreverResp.
+ Perguntas

Espaço do Leitor

Envie sua mensagem:
Sugestões, críticas, opinião.
  • iraci cesario da rocha rocha

    Procuro minha irmã Creusa Maria Cesario ela era de Dracena SP , minha mãe esta idosa 79 anos precisa ver ela se alguem souber nos avisa ..contato 018 996944659 falar com Iraci ..minha irmã foi vista nessa região

  • iraci cesario da rocha rocha

    Boa noite , estou a procura da minha irmã Creusa Maria Cesario desapareceu ha 30 anos , preciso encontrar porque minha mãe esta com 79 anos e quer ver , ela foi vista ai por essa região , quem souber nos avise moramos aqui em Dracena SP

  • maria de lourdes medeiros bruno

    Parabéns, pelo espaço criado. Muito bem trabalhado e notícias expostas com clareza exatidão. Moro na Cidade de Aquidauana e gostaria de enviar artigos. Maria de Lourdes Medeiros Bruno

  • cleidiane nogueira soares

    Procuro por Margarida Batista Barbosa e seu filho Vittorio Hugo Barbosa Câmara.moravam em Coração de Jesus MG nos anos 90 .fomos muito amigos e minha família toda procura por notícias suas.sabemos que voltaram para Aparecida do Taboado MS sua cidade natal

  • Simone Cristina Custódio Garcia

    Procuro meu pai Demerval Abolis, Por favor, me ajudem.Meu telefone (19) 32672152 a cobrar, Campinas SP.

+ Mensagens