Segunda-Feira 22/07/2024 15:37

A economia da troca de favores (parte I)

Brasil - Opinião - Uma Realidade

Por Agnaldo Holanda*

 

“Uma mão lava a outra”, “É dando que se recebe”. Provérbios tão conhecidos, que encerram tanta sabedoria de vida: neste mundo, não se deve ser egoísta; há de se pensar no próximo, nutrir a empatia; hoje ajudamos, amanhã somos ajudados; somos recompensados pelos nossos bons atos. Até aí, tudo bem, não é mesmo? Mas leitor, leitora, estive eu de prosa outro dia com meu amigo Tertuliano, um filósofo amador que qualquer hora dessas lhes apresento melhor, e esmiuçamos juntos a “Economia das trocas de favores”, da qual vou resumir aqui só alguns aspectos, por questão de espaço.

Funciona assim, e sobretudo aqui na nossa região interiorana, onde todo mundo conhece todo mundo e a todo instante as pessoas se deparam com conhecidos: as pessoas a tudo querem agregar um “favor”, para ter como cobrá-lo mais tarde. O favor vira a principal moeda de troca, um elemento simbólico mas de alto valor, na vida e no cotidiano em que esse sistema está implantado. Melhor ilustrar com exemplos:

(a) Você recebe um panfleto de uma loja, anunciando um produto, digamos, por preço promocional de R$ 500. Você quer comprar aquele produto. Tem o dinheiro ou o crédito no cartão, disponível. Está no primeiro dia do prazo de 20 dias de promoção que a loja anunciou. Então, claro, você vai até a loja, para comprar o produto, é o seu direito, líquido e certo e simples e inegável. A loja é de uma empresa séria, que não fica anunciando produtos que não têm, com o intuito de atrair clientes.

– Olha, infelizmente já não temos mais em estoque esse produto – é o que lhe diz a vendedora, com semblante plácido. – Mas eu vou fazer o seguinte, pra ver se consigo te ajudar, vou ligar em outra unidade nossa e verificar se eles ainda têm alguma unidade, para enviar pra cá – é o que ela acrescenta.

(b) Você vai até um órgão público em que há uma enorme placa na entrada indicando “Horário de funcionamento: das 13h às 18h”. São 17h40, portanto, faltando 20 minutos para o expediente encerrar. Não há uma viva alma ali, aguardando atendimento, além de você, e a sua demanda não gasta mais de 10 minutos do tempo de um funcionário público, entre as 7 ou 8 almas que estão ali ajeitando o paletó nas cadeiras. Mas aí vem um deles te dizer assim:

– Bom, nós já estamos praticamente fechando... Mas eu vou quebrar o seu galho, pra você não ter de voltar aqui amanhã, já que você mora tão longe, tá?

Nesse sistema, todo mundo gosta de estar “com crédito” com todo mundo, para cobrar no momento certo.

Veja bem, leitor e leitora... Você mesmo talvez, de tão habituado/a que está a essa economia das trocas de favores, talvez não note nada de estranho nos comportamentos descritos. Tudo bem, não se culpe, o costume leva a isso. Agora, analisando com mais distanciamento os fatos, observe que a vendedora não está fazendo favor algum em lhe providenciar o produto que a loja ofereceu em anúncio – e que é obrigada por lei a ter um mínimo em estoque. O funcionário público, por sua vez, também não está lhe favorecendo de nenhum modo, ao executar uma tarefa para a qual é pago para fazer, dentro do horário de seu expediente.

Ora, bolas, mas por que então eles agem assim? Agem assim porque estão impregnados da essência desse sistema que norteia – em muitos lugares – as relações humanas, comerciais, profissionais. Essa vendedora não se contenta em apenas lhe atender, e bem, como a loja decerto a instruiu; ela se aproveita para “embutir” na situação um favorzinho, pelo qual irá te cobrar mais tarde. O funcionário público do exemplo não se vê satisfeito em desempenhar com zelo a função para a qual foi contratado; desempenhando-a, quer fazer o cidadão acreditar que está recebendo uma atenção fora do comum, pela qual terá de pagar ou retribuir mais tarde, e no âmbito do pessoal, do particular.

Quais os efeitos disso tudo? Será que uma sociedade centrada nessa economia da troca de favores traz mais vantagens aos cidadãos? Ou desvantagens? É o que veremos na próxima edição.

(Continua...)

 

* Formado em Letras Clássicas pela USP, escreve e lê por gosto e ofício: atua como redator e editor. É aluno concluinte de Direito na UEMS-Paranaíba; reside em Aparecida do Taboado. Contato: agnaldoholanda@gmail.com.

 

Mshoje.com

Brasil, artigos, opinião, uma realidade

Compartilhar faz bem!

Eventos

  • 1º Encontro dos Amigos da Empaer

    1º Encontro dos Amigos da Empaer

    Cidade:Dourados
    Data:29/07/2017
    Local:Restaurante / Espaço Guarujá

  • Caravana da Saúde em Dourados II

    Caravana da Saúde em Dourados II

    Cidade:Dourados
    Data:16/04/2016
    Local:Complexo Esportivo Jorge Antonio Salomão

Veja Mais Eventos

Balcão de Oportunidades / Empregos(Utilidade Pública)

Não é cadastrado ainda? Clique aqui

Veja todas as ofertas de vagas

Cotações

Indisponível no momento

Universitários

Serviço Gratuito Classificados - Anúnicios para Universitários
Newsletter
Receba nossa Newsletter

Classificados

Gostaria de anunciar conosco? Clique aqui e cadastre-se gratuitamente.

  • Anúncios

Direitos do Cidadão

Escritório Baraúna-Mangeon Faça sua pergunta
  • Tem uma senhora dai de Campo Grande que é uma estelionatá...Tem uma senhora dai de Campo Grande que é uma estelionatária aqui em Cuiabá, levou muita grana nossa, e uma eco esporte. Ela se chama LEUNIR..., como faço pra denunciar ela aí nos jornais?Resp.
  • Boa tarde, minha sogra teve cancer nos seios e retirou um...Boa tarde, minha sogra teve cancer nos seios e retirou um eo outro parcial ja faz um bom tempo que nao trabalha e estava recebendo auxilio doença mas foi cancelada e ja passou por duas pericias e nao consegui mais , sera que tem como ela aposentar?Resp.
  • quanto porcento e o desconto para produtor rural hoje out...quanto porcento e o desconto para produtor rural hoje outbro de 2013Resp.
  • meu irmao cumpriu dois ano e meio de pena foi asolvido 7 ...meu irmao cumpriu dois ano e meio de pena foi asolvido 7 a zero caso ele tenha alguma condenacao esse 2 anos e meio pode ser descontadoResp.
  • gostaria de saber se ae em muno novo vai ter curso pilota...gostaria de saber se ae em muno novo vai ter curso pilotar maqunas agricolas?? se tiver como fasso pra me escreverResp.
+ Perguntas

Espaço do Leitor

Envie sua mensagem:
Sugestões, críticas, opinião.
  • iraci cesario da rocha rocha

    Procuro minha irmã Creusa Maria Cesario ela era de Dracena SP , minha mãe esta idosa 79 anos precisa ver ela se alguem souber nos avisa ..contato 018 996944659 falar com Iraci ..minha irmã foi vista nessa região

  • iraci cesario da rocha rocha

    Boa noite , estou a procura da minha irmã Creusa Maria Cesario desapareceu ha 30 anos , preciso encontrar porque minha mãe esta com 79 anos e quer ver , ela foi vista ai por essa região , quem souber nos avise moramos aqui em Dracena SP

  • maria de lourdes medeiros bruno

    Parabéns, pelo espaço criado. Muito bem trabalhado e notícias expostas com clareza exatidão. Moro na Cidade de Aquidauana e gostaria de enviar artigos. Maria de Lourdes Medeiros Bruno

  • cleidiane nogueira soares

    Procuro por Margarida Batista Barbosa e seu filho Vittorio Hugo Barbosa Câmara.moravam em Coração de Jesus MG nos anos 90 .fomos muito amigos e minha família toda procura por notícias suas.sabemos que voltaram para Aparecida do Taboado MS sua cidade natal

  • Simone Cristina Custódio Garcia

    Procuro meu pai Demerval Abolis, Por favor, me ajudem.Meu telefone (19) 32672152 a cobrar, Campinas SP.

+ Mensagens